A+ a- Texto

terça-feira, 21 de junho de 2016

Um cartaz, muitas lembranças e emoções

Oi amigos leitores,

Faz um tempo que não posto, queria muito poder começar mais um post como nos dias que passava tempos sem vir aqui e publicava alguma nova experiência do meu filho, continuo a lida sobrevivendo a tempestade que ficou na minha alma, não tem sido fácil, cada novo dia é um novo desafio de conviver com ausência do meu grande e verdadeiro amor...e este cantinho se tornou um diário de boas lembranças e desabafos, exemplo de vida e de esperança mesmo depois do fim, que na verdade se tornou um caminho ali na esquina, não consigo mais vê-lo, mas posso senti-lo intensamente e plenamente.

As vezes me perco nas lembranças e nem sei quais posto aqui ou na fanpage dele, e hoje mexendo nas coisas guardadas no meu guarda-roupa vi um cartaz que amiguinhos da turma que ele acompanhou desde primeiro período, na escola Raimundo Oliveira Alencar, fizeram em homenagem durante a despedida eterna. 

Amiguinhos do Juliel, por Thais Guimarães

Lembro claramente quando chegávamos na frente da escola, ao parar o carro pra descer, ouvia as vozes infantis... " Lá vem o Juliel! Olha, olha, é Juliel, vamos lá". Era engraçado, meu filho sempre chamou atenção, por ser cadeirante, ser bonito (não tem como dizer contrário, ele chamava atenção das meninas), era tão divertido e tão bom sentir que meu filho era querido e amado do jeito que ele era, em meio a crianças risonhas e curiosas ele se sentia bem, e tudo que lhe tocava coração, eu sentia e isso criava um clima extremamente bom pra todos.




Que saudade... falar disso é falar como se estivesse retratando algo de ontem, ou da semana passado, é algo tão vivo em minha mente, não só minha como das pessoas que ali tiveram oportunidade de presenciar e conviver.