A+ a- Texto

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Convulsão e a Paralisia Cerebral

Na madrugada de quarta para quinta desta semana, meu filho me deu um susto, teve uma convulsão. O tipo de convulsão que aparece nele é diferente daqueles tipos em que a pessoa fica se debatendo, mas sim ele fica meio ausente, olhando para o lado esquerdo e direito freneticamente, a boca fica levemente torta para o lado esquerdo, e também sente náuseas e vômitos constantes. Quando notei ele com aquele olhar diferente, vi que ele precisava de ajuda e logo acordei o povo de casa pra gente ir ao hospital o mais breve possível, com convulsão não se brinca, o quanto antes buscar ajuda médica melhor ainda.

Durante os atendimentos no Centro de Reabilitação Sarah, nós pais fomos orientados de que existem vários tipos de sintomas que se caracterizam um quadro de convulsão, desde o mexer de um braço ou perna involutariamente até crises de risos. A convulsão é uma condição em que o cérebro trabalha de forma errada, pois ao invés dele mandar impulsos elétricos para as células cerebrais, acontece um erro no caminho e os impulsos são mandados diretamente para o corpo causando uma reação anormal consequente desse processo errôneo. A pessoa pode ter uma convulsão e ficar sem consciência, mexer algumas partes do corpo de forma descontrolada, ou ainda ficar totalmente consciente e realizar movimentos bruscos, ou seja, o corpo reage de forma anormal e sem controle.

Para controlar a convulsão, normalmente o neurologista receita um medicamento controlado que a pessoa deve tomar constantemente, a dose só pode ser diminuída ou cessada progressivamente e com autorização do médico responsável, isso depois de feita uma rigorosa avaliação. O medicamento vai controlando as convulsões chegando, na maioria dos casos, diminuir a frequencia dos ataques, deixando-os cada vez mais espaçosos. Caso a convulsão não seja tratada de forma correta, ela pode fazer com que o cérebro crie novas lesões cerebrais, por isso a preocupação de conter os ataques para não prejudicar ainda mais as pessoas com paralisia cerebral e outras patologias cerebrais.

A convulsão precisa ser tratada da melhor maneira possível, atentando à todos os síntomas e dando o medicamento todos os dias, para assim trazer à pessoa que sofre desse problema uma vida mais tranquila e com menos sustos.


Abraxos =)