A+ a- Texto

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Quem faz história jamais será esquecido

Quem faz história jamais será esquecido

"Cuide bem do seu amor, seja quem for"

11 meses sem nosso amor, garanhão do vovô, meu minamore, cheiroso da vovó, nosso comandante da casa. Uma família unida pelo amor incondicional, separados fisicamente, mas espiritualmente ligados pela eternidade. Ninguém faz ideia do quanto somos unidos, digo isso porque apesar de estarmos morando longe um do outro estamos ligados pelo amor, intenso e incondicional, fui abençoada por ser sua mãe, por ter me escolhido pra fazer parte da sua vida. Sinto muito sua falta. Todos nós sentimos, é imenso o vazio que ficou, estamos dia após dia convivendo com isso tudo e pegando nossos pedacinhos em meio a rotina, misturando lembranças, músicas infantis, fotos, comida, cheiros, letras e desenhos na parede, rabiscos em pedaços de papel, vestígios de nossa história permeando nossa vida, Deus está nos dando força e nos ajudando como ele pode.

"Onde estarão meus amores?"

"Em uma das moradas de Deus"


*** Tanto tempo sem atualizar aqui, nem contei pra vocês, meu pai, Arlindo, vô do nosso garanhão, nosso comandante se foi dia 24 de agosto, não era pra ser assim, mas aconteceu, estamos atravessando toda essa mudança drástica em nossa família, acho que devem entender a minha ausência em atualizar, às vezes me pego sem vontade e estou mais no trabalho. Tenho coisas importantes pra postar que até papai me pediu, fotos das nossas doações de cadeira de banho feita de pvc criada por ele para crianças com deficiência, vídeo dele montando cadeira, se Deus quiser me organizo pra postar essas coisas que fizemos nesses meses que se passaram. É isso. Até breve.
Grande Abraço pra vocês.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Um cartaz, muitas lembranças e emoções

Oi amigos leitores,

Faz um tempo que não posto, queria muito poder começar mais um post como nos dias que passava tempos sem vir aqui e publicava alguma nova experiência do meu filho, continuo a lida sobrevivendo a tempestade que ficou na minha alma, não tem sido fácil, cada novo dia é um novo desafio de conviver com ausência do meu grande e verdadeiro amor...e este cantinho se tornou um diário de boas lembranças e desabafos, exemplo de vida e de esperança mesmo depois do fim, que na verdade se tornou um caminho ali na esquina, não consigo mais vê-lo, mas posso senti-lo intensamente e plenamente.

As vezes me perco nas lembranças e nem sei quais posto aqui ou na fanpage dele, e hoje mexendo nas coisas guardadas no meu guarda-roupa vi um cartaz que amiguinhos da turma que ele acompanhou desde primeiro período, na escola Raimundo Oliveira Alencar, fizeram em homenagem durante a despedida eterna. 

Amiguinhos do Juliel, por Thais Guimarães

Lembro claramente quando chegávamos na frente da escola, ao parar o carro pra descer, ouvia as vozes infantis... " Lá vem o Juliel! Olha, olha, é Juliel, vamos lá". Era engraçado, meu filho sempre chamou atenção, por ser cadeirante, ser bonito (não tem como dizer contrário, ele chamava atenção das meninas), era tão divertido e tão bom sentir que meu filho era querido e amado do jeito que ele era, em meio a crianças risonhas e curiosas ele se sentia bem, e tudo que lhe tocava coração, eu sentia e isso criava um clima extremamente bom pra todos.




Que saudade... falar disso é falar como se estivesse retratando algo de ontem, ou da semana passado, é algo tão vivo em minha mente, não só minha como das pessoas que ali tiveram oportunidade de presenciar e conviver. 








segunda-feira, 9 de maio de 2016

Coração apertou demais no dia das mães

Dia das mães, mês das mães, tantas postagens homenageando nós mães de todo mundo, meu primeiro dia das mães sem meu filho fisicamente aqui comigo, pra cheirar, brincar, cuidar, carregar, como sinto sua falta, as pessoas não conseguem ter noção, nossa vida sempre foi intensa, conviver com uma criança e interagir sem falar como normalmente falamos, é entender através de gestos faciais e corporais, é um entender que se constrói com tempo, dedicação, principalmente amor incondicionalmente.

 

Tem sentimentos que não tem como explicar em toda intensidade, mas deixo minhas pequenas impressões em cada post. Sinceramente nunca me vi antes tão deslocada, tão sem chão em toda minha existência nesta vida. Algumas pessoas nunca vão entender e nem chegar perto de um amor assim, aos que compartilham da mesma experiência de amor sabem o que digo.

 

Todo dia que eu o acordava perto das 9:30 am, ia bem devagar cheirando e beijando seu pescoço, e levantando seu cobertor pra espertar seu corpinho, "já tá quase na hora do café da manhã, bebezão", " vamos acordando devagar, se espreguiçando, meu bebê", e cantava sua música de acordar: - "Bom dia Juliel como vai?, a nossa amizade nunca sai, faremos o possível para sermos bons amigos, bom dia Juliel como vai? Faremos o possível para sermos bons amigos, bom dia Juliel como vai".


Todo os dias da minha vida não há um segundo, um minuto que meu pensamento não esteja em você meu filho, você vive no plano espiritual, e nosso amor é nossa ligação mais profunda, por isso continuamos ligados espiritualmente, como alguns dizem "ele está no seu coração", digo que não está somente em meu coração e minhas lembranças, mas sim na minha alma eternamente, sou muito grata por ser sua mãe, não sou a melhor mãe do mundo, mas dei o melhor de mim pra te fazer feliz sempre.

Te amo





Fotos de 2006 - 3 anos

2014
Agosto de 2015

08/05/2016
08/05/2016

sábado, 7 de maio de 2016

Quando a vida vira do avesso sem explicação

Ano passado tivemos uma grande luta contra câncer raro no fígado (hepatoblastoma). Por onde ando vejo que a maioria das pessoas com quem conversamos tem uma ideia diferente da realidade, como se ele estivesse definhando, principalmente sobre alimentação. Pelo contrário. A doença foi tão silenciosa que me assusta quando lembro, porque antes eu tinha uma ideia de que a pessoa com CA sentia fortes dores, falta de apetite enorme, entre outros problemas mais independente do tipo, mas aprendi que não, tudo depende do tipo da doença, do estadio que se encontra e própria condição física e mental da pessoa.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Fotos reveladas, fotos encontradas

Hoje fui pegar umas fotos reveladas. Esse termo revelar é do tempo do rolo de filme kodak, e ainda tenho alguns rolinhos pra descobrir o que há neles. Pra minha surpresa era aniversário de 3 anos do nosso Julico, bolo tema Bob esponja, caramba, voltei no tempo, não sei porque não revelamos isso antes, fiquei triste por isso, e ao mesmo tempo nostálgica quanto as fotos resgatadas. Sabe aquela coisa de "deixa pra depois", "deixa pra amanhã", pois é, o tempo vai passando nisso acabamos esquecendo de revelar. Abaixo estão algumas fotos que foram salvas porque a maioria do rolinho se perderam e não aparecem pra revelar.

Eu e meu minamore, meu coração cheiroso, comandante Julico
Madrinha Gracimara, Pai Julio, Julico e eu. Estamos ficando velhos
Primos: Pâmela, Carlos Eduardo, Anami e Lucas
Fotos de 8/8/2006